sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Se eu morrer amanhã...


Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que eu sempre lhe amei, mesmo que às vezes eu parecesse indiferente ou que não soubesse demonstrar isto.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que gostei de ter os livros que comprei, mas que gostaria de ter lido profundamente todos eles.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que sou encantado pelas palavras, idiomas e sistemas de escrita: mas nunca aprendi tanto quanto gostaria; fui mais um curioso que estudioso.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que me acho um afortunado por ter ido onde já estive, ter viajado onde visitei e trabalhei, ter conhecido, ainda que brevemente, esses tantos lugares, mesmo havendo tantos mais por ir.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que eu queria ser um bom exemplo pra ser seguido por meus filhos, que eles se orgulhassem de mim também; mas deixo muitas lacunas nessa tarefa pelas minhas imperfeições e incapacidades nessa missão... Mesmo eu falhando, tenho orgulho deles e os amo muito.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que gostaria de ter ganhado mais e vivido mais ricamente, mas acho que sou feliz com o que consegui alcançar com todas as dificuldades e adversidades. Acumulei um monte de dívidas e poucas reservas, mas penso que cada centavo foi empregado justamente e sem receio. Uma vida modesta e sem ostentação, mas confortável e sem privações era o desejado.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que eu gostaria de ter praticado mais esportes, curtido mais a vida, mas as responsabilidades de viver me desviaram para outras atitudes... Enfim, foi assim que aprendi ser adulto, embora reconheça que poderia ter repensado e distribuído melhor as prioridades, se eu soubesse antes o que sei agora.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que trabalho muito mais do que gostaria, eu queria ter mais tempo livre para os que me cercam, para a família e para mim... Mas sempre procurei ser no trabalho o que eu quis ser na vida: responsável, atencioso com as pessoas, conhecedor do que faz, com questão de fazer bem o que for preciso. Nisto perco um tempo precioso, errando muitas vezes por querer acertar sempre. Raramente fui reconhecido e recompensado como penso que deveria... Mas quem disse que a vida é justa? Ter trabalho e ocupação digna já é uma bênção.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que, embora eu pareça metódico e organizado, minhas coisas, minha vida, é uma tremenda bagunça, a qual nunca consigo por em ordem, por razões diversas. Talvez seja questão de prioridades e opções... Eu priorizo descansar quando estou cansado, dormir quando estou com sono, refletir e pensar na vida quando estou infeliz, e me distrair quando estou preocupado. Com isto, as coisas urgentes vão ficando cada vez mais urgentes, e eu fico confuso sem saber quais são as coisas importantes. Descobri que querer o que não se consegue e desejar o que não depende só de si é um tremendo desperdício de tempo e esforço, e muito contribui para essa bagunça. No fundo, a gente só quer ser feliz.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que eu sempre admirei a beleza, natural e humana, na sua aparência e no seu conteúdo, prático e conceitual. Por isto as fotografias têm seu encanto, e o contato físico também. Ver é ótimo, sentir e experimentar é melhor. Isto vale para lugares, coisas e pessoas. Amei muito o que/quem vi, conheci, saboreei e vivi. O único arrependimento é não ter podido mais, ou nem sabido na hora como ter tirado melhor proveito.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que quando eu era jovem, queria amar todas as belas mulheres do mundo. Mas nunca quis trocar qualidade por quantidade. Assim, a exigência torna os resultados restritos. As poucas mulheres que amei não eram as mais belas, mas foram as mais especiais para mim. Nunca amei a loira nem a ruiva dos meus sonhos, mas a minha paixão sempre amou a "loira da minha vida". É um pouco frustrante em termos de expectativa, mas é muito gratificante em termos de realização. Quisera eu realizar mais.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que tenho muitas dúvidas, uma certa insegurança, e algumas poucas certezas. Muito em função de questionamentos que me levam a pensar e refletir... Meu entendimento é que ignoro muita coisa, principalmente da natureza das pessoas e das coisas, apesar de toda minha observação e deduções. Peco na comunicação, na forma de transformar pensamentos em palavras ditas e de me expressar. Às vezes, palavras que eu disse feriram e as frases que eu engoli me corroeram; por vezes, as que deixei de dizer viraram monstros que jamais controlei. Quero me desculpar pelas possíveis ofensas, e pelo meu silêncio também.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que não me arrependo do que fiz ou do meu passado, sei que foi o melhor que eu pude fazer nas tais circunstâncias. Talvez pudesse fazer diferente e melhor... mas isto, pela percepção do que sou hoje, antes não. Se me arrependo de algo, creio que seja do que eu deixei de fazer, das oportunidades perdidas ou desperdiçadas... Estas não voltam e foram-se com o tempo.

Se eu morrer amanhã, eu gostaria de lhe dizer hoje...

Que sempre quis ser (e acho que fui) uma boa pessoa, bem educada e respeitosa, embora acho que na maioria das vezes o agir de outra maneira acaba levando vantagens. Entretanto isto não me convence a trocar de lado: não me sinto um perdedor, prefiro somar à minoria que se orgulha de dormir com a consciência tranqüila a despeito da pressão contrária, de demonstrar os princípios que se acredita através de exemplos e postura em vez de gritos e força, que lamenta perder e se dar mal muitas vezes e até achar que isto não é nada justo. Pode ser uma insistência inútil ou uma teimosia burra ou uma autenticidade insana, mas é assim que acredito que se deva viver e assim vou morrer...

... Se amanhã? Não sei. Só sei que HOJE eu gostaria de lhe dizer tudo isto e mais um pouco. A sensação é que nunca é suficiente nem o bastante, que sempre fica faltando um tantão. E isto me faz sentir infeliz. Mas, embora não pareça ou eu até eu pense que não, com toda certeza posso afirmar que sou feliz assim. E por isto, muito obrigado!


Bônus:
Testamento? Testemunho+Lamento?


9 comentários:

Lis. disse...

Postaste um texto sem comentários. Existem tantas coisas imperfeitas, e temos que lidar com elas sem ao menos olhar para trás. E do nada, podemos tirar dos sentimentos as grandes reflexões das vivências.

Eu acho que grande é pouco para quem pode vivendo trazer paz para seus semelhantes apenas mostrando-se puramente humano.

De bons sentidos humanos.

Parabéns pelo texto.

Cumprimentos.

Lis.

Cantinho da Cê disse...

Mas felizmente temos o hoje e o agora para fazer a mudança que queremos em nossas vidas...

Amei o texto, muito bom.

Beijos,

Leticia disse...

Chegar a conclusão de ser feliz com quem se é e com tudo que ja foi nos dá chance de ser ainda melhor .

Bela reflexão.

Vivian disse...

...ainda bem que houve tempo
para que você deixasse este
RX da tua alma linda!

parabéns, moço,
pelo post mais lindo
que já ví por aqui...

bj

Mari disse...

Oi meu querido...

Que beleza esta sua exposição sincera dos sentimentos...
Eu acho que todos deveríamos fazer esta introspeção (eu já fiz)...agora, antes que possa ser tarde e a gente parta sem que o outro saiba o que vai/ia na nossa alma.
E mais importante, sem que a gente mesmo saiba disto...porque tudo passa muito rápido e quando nos damos conta não pudemos sequer ser gratos a nós mesmos, pelas tantas coisas boas que vamos realizando ao longo do caminho...ou ainda perdemos a chance de ver os erros que cometemos...e de qualquer forma, perdemos a chance de dizer "obrigada" ou ainda "me desculpe"...ou então "me perdoe", "eu te amo", enfim...
Assim meu querido, este seu texto é uma dádiva para quem te lê e mais importante de tudo...para você!
Amei! Muito bom mesmo!
Um beijo grande e saiba de uma coisa...

"Se eu morrer amanhã, queria te dizer obrigada pela incrível oportunidade de conhecer você! "

Beijos
Mari

Aldacristina disse...

Amei o seu texto!
Aplausos...rsrsrsr
Tenho muito medo da morte, as vezes fico pensando que poderia ser diferente, não haver morte só vida rsrsrsrsrs,não quero morrer amanha! rsrsrsr bjim, Cris.

Paula Barros disse...

Sempre refletimos no muito que temos a dizer e a fazer quando pensamos na morte. E não morrendo continuamos a não dizer e a não fazer.

CIDADE ACOLHEDORA - Cláudia disse...

Muito interessante!
Seu jeito de escrever é envolvente e contagiante.. deixa-se perceber o que você sentia ao escrever!
E.. se eu morrer amanhã,
eu gostaria de lhe dizer hoje..
Que, mesmo com o pouco que pude ver até então, já gostei muito de "te ler".. (rsrs)

Beijos!

Ju ♥ disse...

ainda bem q não morreu e assim pode continuar a ser exemplo pros filhos, ler mais, trabalhar menos, viajar mais, organizar a sua bagunça e principalmente, amar mais, pq você ainda tem tempo.

Related Posts Relacionados with Thumbnails