domingo, 25 de julho de 2010

Ensaio sobre a paciência


"Se rezo por paciência,
Deus me dá um monte de oportunidades para exercê-la,
nunca um estoque dela.
Se peço dias melhores,
as sombras de mais dias cinzentos
nos fazem enxergar a claridade nas menores frestas."


Mesdre


Quando eu tinha 10 anos, passei a ir ao dentista com freqüência, porque tive que colocar aparelho ortodôntico (para "consertar" os dentes tortos). Foi a minha época de "sorriso blindado".

No consultório do dentista o atendimento era por ordem de chegada, e a espera era lonnnga. Muitas vezes passava umas duas horas ou mais, na sala de espera.

Sobre isto pode imaginar como se sente um pré-adolescente confinado por horas numa sala sem poder ir embora ou fazer algo mais lúdico... Eu posso dizer que foi ali que aprendi a ler e gostar das histórias de Asterix e Obelix, que vinha numa página em quadrinhos no final de uma das revistas deixadas na sala de espera justamente para o pessoal se distrair enquanto não chega sua vez ou para disfarçar o medo.

Mas o que mais aprendi nessas esperas foi... a ter PACIÊNCIA! A não se angustiar diante do inevitável.... A não ficar ansioso pela perda de tempo nessas situações que exigem paciência... A não se desesperar pelo que poderia ser diferente ou já.

O "logo" passou a fazer sentido. Eu passei a ser boa companhia a mim mesmo. Eu passei a saber ouvir mais a mim e conversar mais com meus pensamentos. Sobretudo, a buscar achar utilidade e propósito no que aparenta ser um imenso desperdício de tempo... E a me acostumar a isto, sem despertar guerras internas ou contra inocentes só pra descarregar minha impaciência e intolerância... Sem sentir raiva ou desconsolo pela situação de impotência diante do inevitável.

Isto é ser paciente!

Paciência não é só uma atitude ou comportamento manso diante da espera. A paciência não é apenas uma virtude dos esperançosos. Não se pode confundir Paciência com Esperança! Mas é certo e inegável que estão ligadas.

A Esperança pode estar além da realidade. Quem tem esperança, tem fé, quer que assim aconteça, mesmo sabendo que pode nem acontecer durante sua existência.

A Paciência tem um objetivo. Quem é paciente espera que algo aconteça, senão logo, o será em breve. É uma espera que tem um fim, ou será o seu fim.

Existe uma finalidade na Paciência. E uma utopia idealista na Esperança.

Por isto, quem é tratado de alguma doença, é chamado de paciente. Ele espera pela sua cura. Ou morre.

Já o esperançoso acredita no ideal, naquilo que tem que ser. Pode até sucumbir durante a espera, mas sua esperança não morre, se perpetua.

Já me disseram que sou MUITO paciente. Alguns me acham acomodado. Talvez porque aprendi bem a saber esperar.

Isto é verdade, desde que eu saiba porque ou pelo que estou esperando.

E aquela ligação vem justamente daí: quando se perde a esperança de alcançar um objetivo perseguido pacientemente, também se perde a paciência, até o mais paciente dos guerreiros.

Sim, porque podemos comparar Arte de Esperar, com a Arte da Guerra. Pois todo bom guerreiro precisa saber aonde quer chegar, o que precisa vencer, o quanto tem que esperar para atacar, e quando bater em retirada seja para se municiar, seja para se recuperar ou se reestabelecer, seja para buscar um melhor ponto de observação recuado e obter melhor visão panorâmica do campo de batalha.

O guerreiro vence com a Arte da Guerra. A GUERRA=MORTE. Enfim, a Terra morre...

O paciente é consciente da Ciência da Paz. A PAZ=CIÊNCIA! Enfim, viva Paciência!




Referências: (não deixe de ler!)

1) Sobre a paciência de um guerreiro e que se passa em sua alma, encante-se com:
Sonho + menina = guerreiro, TReMuSDaMiVi, em 25/07/2010

2) Achei ótimo o ensaio paralelo agarrando-se a partir do jeito de jogar do genial e inocente Garrincha nas partidas em que não jogava, mas apenas ensaiava jogar para a alegria de simplesmente brincar com a bola. Bem bolado! Veja Mai em:
Dribles no Estresse Cotidiano, Inspirar-Poesia, em 24/03/2009

3) Um tipo de oração, para se aprender a ter paciência:
Coisas Acontecem, Mesdre, em 31/01/2009

4) Uma tese (infame) sobre (p)a_ciência:
Isto é má temática (1), Fama inFame, em 29/03/2009

5) E na caixa de ferramentas de mentes científicas, confira o que faltava em:
Cientificamente cavando mentes com pá, Fama inFame, em 25/07/2010


3 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Falou pra mim, né? Tou sabendo! Rá.

Mas, de fato, o recuo é uma certa paciência de como proceder. O que estou a fazer!

Meu obrigada por fazer ler algo assim.
Bjos ú&e =**

Mari disse...

Belo ensaio você fez aqui...
A paciência é uma arma dos sábios.
A esperança é uma virtude dos ingênuos...]
E as duas juntas são a tônica de bem viver.
E a acomodação não cabe em nenhuma das duas situações, pois quem acomoda estanca qualaquer possibilidade de evolução!
Um beijo

Andre Martin disse...


ú&e:


Às vezes é preciso dar um passo atrás para dar dois à frente... ou dar até MUITOS PASSOS atrás para dar um SALTO à frente!

Obrigado por ter lido, gostado e comentado!


Mari:


Obrigado! Você arrematou com chave de ouro:
"A paciência é UMA arma dos sábios.
A esperança é UMA virtude dos ingênuos."

É, tenho tendência a concordar. Mas isto leva a outra discussão: quem disse que a 'evolução' é a meta a ser alcançada, e a que velocidade?
E o conceito de acomodação remete a outro debate, o da tal Zona de Conforto....
Enfim, bons pretextos para bons papos! rs

Related Posts Relacionados with Thumbnails